MÓDULO 2 – A ARTE PALEOCRISTÃ Duração: 4h

40,00

CUPÃO DE DESCONTO para Associados IEAC-GO, Associados AGIC, Associados SNATTI, profissionais com registo RNAAT e/ou RNAVT, Estudantes de Turismo e Munícipes de Oeiras.

No ato do pagamento colocar a palavra  –  “desconto” no cupão

Categoria:

Descrição

s Reconhecer a diferença da arte cristã inicial relativamente ao contexto cultural greco-romano.

s Identificar os princípios doutrinais que suportam as expressões artísticas paleocristãs.

s Interpretar símbolos e imagens à luz dos princípios cristãos e das influências do ambiente cultural.

 

s Compreender a evolução da arte cristã oriental e ocidental.

s Identificar, no território português, o património, os símbolos e as expressões artísticas no contexto histórico da Península Ibérica.

s Adquirir conhecimentos sobre as origens do monaquismo ocidental pela importância que virá a ter mais tarde, na Idade Média e, particularmente, no período da fundação de Portugal.

 

1.  O contexto histórico.

2.  A época das catacumbas: o cristianismo clandestino; as primeiras expressões artísticas cristãs, técnicas, temáticas e simbologias.

3.  A época basilical: o cristianismo, religião oficial do Império Romano, os lugares de culto, espaços domésticos, basílicas e mausoléus; as basílicas da época visigótica em Idanha-a-Velha, Beja e Mértola.

4.  A arte bizantina: as influências culturais gregas e egípcias; as técnicas de representação e os fundamentos doutrinais das mesmas; a simbologia das formas e das cores.

5.  O início do monaquismo ocidental e do centralismo romano.

6.  A Inspiração dos Padres do Deserto como é o caso de Santo Antão e de São        Paulo Ermita: as referências patrimoniais portuguesas destas duas figuras, em Sendim o ermitério Os Santos, ; o Convento de São Paulo, na serra de Ossa; igreja dos Paulistas, em Lisboa; e conjunto monumental de Santo Antão do Tojal. A inspiração de Santo António.

7.  As primeiras regras monásticas: a Regra de Santo Agostinho; Santa Cruz de Coimbra e São Vicente de Fora, dois dos mosteiros portugueses que virão a adotar esta regra; a Regra de São Bento de Núrsia; os primitivos cenóbios em território português.

8.  A figura de São Gregório Magno, o centralismo romano e a sua influência na arte cristã.

 

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “MÓDULO 2 – A ARTE PALEOCRISTÃ Duração: 4h”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *