Realizou-se no dia 13 de abril, em Alfragide, a Jornada “NOVOS DESAFIOS DO ACESSO À INFORMAÇÃO E PROTEÇÃO DE DADOS. A IMPORTÂNCIA DOS ARQUIVOS DA IGREJA”. A Jornada foi promovida pelo Instituto de Estudos Avançados em Catolicismo e Globalização (IEAC-GO), pelo Instituto da Padroeira de Portugal para os Estudos da Mariologia (IPPEM) e pelo Centro de Estudos de Cultura, História, Arte e Património (CECHAP) em colaboração com a Província dos Sacerdotes do Coração de Jesus – Dehonianos.

A Jornada contou com mais de uma centena de participantes provenientes de diversas dioceses do país – Algarve, Angra, Bragança-Miranda, Guarda, Leiria-Fátima, Lisboa, Santarém e Setúbal – de diversas ordens, congregações, instituições e movimentos da Igreja Católica bem como de pessoas de outras tradições cristãs.

De manhã, o painel que se debruçou sobre o Regulamento Geral da Proteção de Dados no contexto religioso foi conduzido por Fernando Soares Loja, da Comissão da Liberdade Religiosa e membro da Aliança Evangélica, de tradição batista. Os participantes na Jornada formularam variadíssimas perguntas ao orador em torno da implementação do RGPD que denotaram não só o elevado interesse do tema como a grande necessidade de esclarecimentos.

De tarde, o painel sobre os Arquivos da Igreja contou com a intervenção de Pedro Penteado, do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, sobre a política e enquadramento legislativo do arquivo das instituições privadas em Portugal. De seguida, Carlos Filipe, do IPPEM e do CECHAP, abordou  o tema do tratamento da informação no arquivo corrente e intermédio das instituições religiosas e a tarde terminou com a comunicação de Marco Daniel Duarte e de André Melícias, do Santuário de Fátima, apresentando a gestão da informação no arquivo daquele santuário.

Na expressão dos organizadores, Eugénia Magalhães e Carlos Filipe, respectivamente do IEAC-GO e do IPPEM, a grande adesão ao evento demonstrou que “a importância desta temática é inquestionável. Por outro lado, disseram, “a riqueza das comunicações e o interesse activo dos participantes asseguraram uma jornada muito produtiva e rica em termos de aumento de conhecimento e de troca de experiências.” “Não podemos esquecer o papel fundamental que, na história, a Igreja teve e tem na preservação de informação valiosíssima”, concluiu Eugénia Magalhães, presidente da direcção do IEAC-GO.

O IEAC-GO aproveitou a ocasião para divulgar algumas das iniciativas mais próximas em que está envolvido, destacando-se a Jornada que irá promover em Junho, sob o lema “NAS FRONTEIRAS DO MUNDO, O ENCONTRO COM O OUTRO”, que abordará experiências pastorais de limite.

 

 

IEACGO

GRÁTIS
BAIXAR